Os 15 indicadores que toda empresa deveria medir

indicadores

Quando se quer uma gestão de excelência, há indicadores que são essenciais para avaliar o desempenho e a saúde de uma empresa. Eles fornecem insights valiosos sobre várias áreas. 

Neste artigo, exploraremos 15 exemplos de indicadores que podem ajudar a impulsionar o sucesso do seu negócio.

O que são os indicadores?

Indicadores, também conhecidos como Key Performance Indicators (KPIs), são métricas utilizadas para avaliar diversos aspectos do desempenho de uma organização. 

Esses indicadores são ferramentas cruciais para o gerenciamento eficaz, pois fornecem uma compreensão clara de onde a empresa está e onde quer chegar Eles que irão mostrar se as metas estão ou não estão sendo atingidas

Leia também: Qual a diferença entre metas e objetivos e como defini-los na sua empresa

15 exemplos de indicadores 

1. Lucratividade

O primeiro indicador é a lucratividade, que mede o grau de sucesso financeiro de uma empresa. É vital entender se a empresa está gerando lucro suficiente para sustentar suas operações e crescer.

Para calcular a lucratividade, um dos métodos mais comuns é através da margem de lucro, que se obtém dividindo o lucro líquido pela receita total e multiplicando por 100 para obter uma porcentagem. Essa métrica ajuda a entender se a empresa está gerando lucro suficiente para sustentar suas operações e possibilitar o crescimento. 

Outro método é o retorno sobre o investimento (ROI), que compara o lucro líquido com o investimento inicial, oferecendo uma perspectiva sobre a eficiência do capital investido.

2. Faturamento

O faturamento é um indicador chave que mostra a receita total gerada. Ele fornece uma visão geral do desempenho de vendas da empresa.

Este indicador também é conhecido como receita total, portanto, é um indicador chave que reflete o desempenho de vendas de uma empresa. Para calcular o faturamento, a empresa deve somar todas as receitas geradas pelas vendas de produtos ou serviços em um período determinado. Isso inclui todas as vendas, independentemente de terem sido pagas ou não (em caso de vendas a crédito).

O faturamento total da empresa deverá levar em conta todas as vendas do período e, se aplicável, deve-se deduzir devoluções e/ou descontos. Este indicador é fundamental para avaliar a capacidade da empresa de gerar receita e é frequentemente usado como base para análises mais profundas, como a avaliação da lucratividade e eficiência operacional.

3. Produtividade

A produtividade é um KPI que avalia a eficiência dos funcionários e dos processos. Uma alta produtividade indica que a empresa está utilizando seus recursos de maneira eficaz.

Para mensurar a produtividade, podemos analisar a relação entre os outputs gerados (como produtos fabricados ou serviços prestados) e os inputs utilizados (como horas trabalhadas, recursos materiais ou financeiros). 

Uma abordagem comum é calcular a produtividade do trabalho, dividindo o total de saídas (por exemplo, número de unidades produzidas) pelo total de horas trabalhadas.

Em ambientes de serviço, a produtividade pode ser medida pela quantidade de serviços prestados em relação ao tempo ou recursos despendidos. 

Em um cenário de escritório, pode-se usar indicadores como tarefas concluídas ou metas alcançadas por período. Importante ressaltar que, ao medir a produtividade, deve-se considerar a qualidade do output. 

Aumentar a quantidade produzida sem manter os padrões de qualidade pode, na verdade, ser prejudicial para a empresa a longo prazo. Assim, a produtividade deve ser equilibrada com a qualidade para garantir um desempenho sustentável e eficaz.

4. Qualidade do Produto/Serviço

Este indicador foca na qualidade dos produtos ou serviços oferecidos. Ele pode ser medido através de feedback de clientes, análise de retorno de produtos, ou auditorias internas. 

Para mensurar a qualidade do produto ou serviço, as empresas geralmente utilizam métodos como pesquisas de satisfação do cliente (que iremos destacar em outro tópico), que coletam feedback direto sobre a experiência do usuário com o produto ou serviço. 

Além disso, a análise da taxa de retorno ou reclamação de produtos oferece dados quantitativos sobre a qualidade. Auditorias internas de qualidade também são realizadas para verificar a conformidade com padrões estabelecidos e identificar áreas de melhoria, garantindo que os produtos ou serviços atendam consistentemente às expectativas dos clientes e aos requisitos regulamentares.

5. Custos Fixos

Monitorar custos fixos é essencial para a gestão financeira. Este indicador ajuda a entender se a empresa está mantendo seus custos essenciais sob controle.

Para medir e calcular custos fixos, identifique e some todas as despesas que não variam com a produção ou vendas, como aluguel, salários fixos, seguros e depreciação. Registre e analise estes custos regularmente para garantir consistência e identificar oportunidades de otimização financeira.

Leia também: Gestão de indicadores: entenda o que é e aprenda a acompanhar os KPIs do seu projeto

6. Crescimento de Vendas

O crescimento de vendas indica a capacidade da empresa de aumentar sua receita ao longo do tempo. É um sinal de expansão e captação de mercado.

Para mensurar o crescimento de vendas, compare a receita de vendas de períodos consecutivos (mensal, trimestral, anual) e calcule a variação percentual entre eles. Este cálculo revela a taxa de crescimento das vendas, indicando a eficácia da empresa em expandir e capturar mais mercado.

Banner para o Infográfico 7 etapas do planejamento estratégico

7. Eficiência Operacional

A eficiência operacional analisa como os processos de negócios estão sendo executados. Um alto grau de eficiência indica que a empresa está maximizando seus recursos. Este indicador compõe também a medição dos estágios da Excelência Operacional, entenda mais aqui. 

Para medir a eficiência operacional, as empresas geralmente comparam os insumos utilizados (como mão de obra, materiais e tempo) com os produtos ou serviços gerados, analisam o tempo de processamento para concluir tarefas e avaliam a taxa de utilização da capacidade produtiva. Além disso, analisam a relação custo-benefício dos processos e monitoram a qualidade e a taxa de erros para garantir processos otimizados e eficientes.

8. Estratégia de Negócios

A eficácia da estratégia de negócios é crucial. Este indicador avalia se as metas estratégicas estão sendo alcançadas e se elas estão alinhadas com a visão geral da empresa.

Para medir a eficácia da estratégia de negócios, as empresas devem monitorar o progresso em relação às metas estratégicas estabelecidas, analisar se as atividades e resultados estão alinhados com a visão e missão da empresa, e avaliar regularmente indicadores chave de desempenho (KPIs) específicos para cada objetivo estratégico. Basicamente, criar e monitorar o seu Planejamento Estratégico. 

9. Satisfação do Cliente

Este é um dos indicadores mais falados! Isso porque a satisfação do cliente é um indicador vital da qualidade do serviço ou produto. Pesquisas de satisfação podem fornecer insights valiosos para melhorias.

Para medir a satisfação do cliente, as empresas geralmente conduzem pesquisas, solicitando que os clientes avaliem vários aspectos do produto ou serviço, como qualidade, preço e experiência de atendimento. 

Os resultados são analisados para calcular índices, como o Net Promoter Score (NPS), que mede a probabilidade de os clientes recomendarem a empresa a outros. Feedbacks e avaliações online também são fontes valiosas de informação para este indicador.

10. Eficiência de Recebimento

Este indicador mede a rapidez e eficiência com que a empresa recebe pagamentos de clientes. Uma alta eficiência de recebimento é indicativa de boa saúde financeira.

Para calcular este indicador de qualidade, deve-se analisar o ciclo médio de recebimento de contas a receber, calculando o tempo médio entre a emissão da fatura e o recebimento do pagamento. 

Monitore também a porcentagem de contas recebidas dentro do prazo estipulado e identifique quaisquer atrasos ou inadimplências frequentes para avaliar e otimizar o processo de cobrança.

11. Turnover de Funcionários

A taxa de turnover de funcionários reflete a rotatividade de pessoal na empresa. Um baixo turnover é geralmente um indicativo de um ambiente de trabalho positivo e de funcionários satisfeitos.

Existe uma fórmula que ajuda a calcular o turnover (rotatividade) de funcionários: 

Taxa de Turnover = (Número Total de desligamentos no período / Número médio de funcionários no período) ×100

Ao que deve ser considerado o total de desligamentos de funcionários independente do motivo: seja demissão, aposentadoria, etc. Já o número médio de funcionários no período é calculado somando o número de funcionários no início do período ao número no final do período, dividido por dois.

O resultado é expresso em porcentagem e dá uma ideia clara da taxa de rotatividade de pessoal na empresa. Uma taxa alta pode indicar problemas no ambiente de trabalho, enquanto uma taxa baixa geralmente sugere um ambiente de trabalho estável e satisfatório.

12. Tempo de Ciclo de Produção

Mede o tempo necessário para produzir um produto ou serviço. A redução no tempo de ciclo pode indicar melhorias na eficiência.

Para mensurar o Tempo de Ciclo de Produção, determine o início e o fim do processo de produção, monitore e registre o tempo necessário para completar a produção de cada unidade de produto ou serviço, e calcule o tempo médio de produção. Este cálculo oferece insights sobre a eficiência do processo produtivo e potenciais áreas de melhoria.

13. Retorno sobre Investimento (ROI)

O ROI avalia a eficácia dos investimentos da empresa. Um ROI alto indica que a empresa está obtendo um bom retorno sobre seus investimentos.

Sua fórmula para cálculo pode ser assim definida: 

ROI = [ (Lucro Líquido do Investimento – Custo do Investimento) / Custo do Investimento ] x 100 

O resultado é expresso em porcentagem, representando a eficiência do investimento em termos de retorno financeiro. Sendo que deve ser considerado como lucro líquido do investimento o ganho obtido com o investimento, subtraindo-se todos os custos associados a ele. E, na parte de custo do investimento, levar em conta o total de recursos financeiros investidos. 

Um ROI positivo indica um retorno lucrativo, enquanto um ROI negativo sugere uma perda no investimento.

14. Taxa de Retenção de Clientes

Este indicador mede a porcentagem de clientes que permanecem com a empresa ao longo do tempo. Para calcular a Taxa de Retenção de Clientes, subtraia o número de novos clientes adquiridos durante um período do número total de clientes no final desse período, divida pelo número de clientes no início do período e multiplique por 100. 

Com este cálculo você terá a porcentagem de clientes que permaneceram fiéis à empresa, refletindo a lealdade e satisfação do cliente. Uma alta taxa de retenção indica lealdade e satisfação do cliente.

15. Inovação e Desenvolvimento

A capacidade de inovar e desenvolver novos produtos ou serviços é crucial para o crescimento a longo prazo. Este indicador pode ser medido pelo número de novos produtos lançados ou por investimentos em P&D.

E como mensurar tal indicador? Uma ideia seria monitorar o número de novos produtos ou serviços lançados em um determinado período e comparar com períodos anteriores. 

Além disso, analisar o valor e a porcentagem do orçamento total da empresa destinados à Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Estes dados fornecem uma visão quantitativa do comprometimento da empresa com a inovação e o desenvolvimento de novas soluções.

Como a Scopi pode ajudar na sua gestão  de indicadores

Já sabemos que a implementação de indicadores é fundamental para qualquer empresa que busca um crescimento sustentável. Cada um desses 15 indicadores oferece uma perspectiva única sobre diferentes aspectos do negócio, permitindo que os gestores tomem decisões estratégicas. Ao monitorar esses KPI`s, as empresas podem identificar áreas de melhoria, maximizar eficiências e impulsionar o sucesso a longo prazo.

E é aí que entra o Scopi. Uma ferramenta para planejar e monitorar todos os seus indicadores. Com ele é possível comparar os dados alcançados com os dados estimados (metas). Através de gráficos e dashboards, é possível avaliar o desempenho dos indicadores por pessoa e por setor. Além disso, é possível definir ações de correção de rota, quando uma meta não está sendo alcançada, processo que chamamos de FCA (Fato – Causa – Ação) . 

Para conhecer mas detalhes sobre os benefícios do Scopi na gestão de indicadores e planejamento estratégico agende uma demonstração nesse link.

Conheça alguns de nossos clientes que estão revolucionando o modo de fazer sua gestão estratégica: acesse cases de sucesso com Scopi 

Banner para demonstração gratuita do Scopi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *