Produtividade no ambiente corporativo: Como destruir a motivação da equipe de trabalho

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Para ter bom índice de produtividade no ambiente corporativo, onde todos se sintam felizes e atinjam as metas desejadas, é fundamental ter uma equipe motivada.

Motivação que tem por consequência o engajamento e mantém todos focados nas prioridades, naquilo que realmente interessa.

A falta de foco, a distração com as redes sociais, os smartphones que não param, impactam também na baixa produtividade do ambiente corporativo.

A seguir algumas atitudes do gestor que arruinam a produtividade do ambiente corporativo:

Ser negligente com os valores, missão e visão da empresa

A empresa tem uma filosofia, valores, missão e visão, mas o gestor não trabalha isso da forma adequada com os colaboradores, tanto para aquele que já faz parte do time como para aquele que está chegando.

O gestor precisa destacar isso seguidamente nas reuniões e em cada situação de conflito.

Os valores, especialmente, estão na base do relacionamento entre os colaboradores e os clientes e entre os próprios colaboradores.

 

Não ser claro na definição e na distribuição das metas

O gestor determina quais serão as metas para o ano mas não explica como e porque chegou naqueles números.

Pior ainda, define metas muito além do que o mercado permite e muito além do potencial que cada membro da equipe  tem.

Um dos resultados negativos disso é a frustração e a desconfiança que acaba gerando na equipe, afetando a produtividade no ambiente corporativo.

 

Não priorizar a sistematização dos principais processos

Todos até sabiam o que tinham que fazer mas não qual era a melhor forma de fazer.

O gestor deixou cada um fazer do seu jeito. Assim, uns até conseguem atingir os objetivos, mas a maioria não.

Outro problema, sem a sistematização não é possível implementar a melhoria e, muitas vezes, não se consegue repetir o processo com o mesmo sucesso de outras vezes.  

 


Você também pode gostar de:

6 Dicas Para Planejar Um Gerenciamento de Projetos de Sucesso

Dicas para Monitorar o Desempenho da Equipe com o Scopi

A experiência com o Software de Planejamento Estratégico Scopi


Não ter persistência para mudar a cultura

Quando o gestor abraça a cultura do planejamento, a equipe acaba sendo contaminada no bom sentido.

Passa também a criar e compartilhar seus planos e os resultados aparecem.

Quem não gosta de se sentir organizado? Muitos gestores delegam à equipe o planejamento e não participam nem das reuniões de avaliação.

Se o gestor não dá um bom exemplo, não há referência a ser seguida: um grande vilão da produtividade no ambiente corporativo.


Não ter uma política de reconhecimento

O ser humano é um ser que deseja. Deseja ser, deseja ter. O trabalho é uma forma de conquistar os nossos desejos.

Podemos ser felizes no trabalho pelo que produzimos e também por aquilo que o trabalho possibilita, viabiliza. O trabalho também nos consome.

Consome tempo, consome energia.

Por isso, sempre é bom uma recompensa, seja na forma de elogio, seja financeira: são impulsionadores da produtividade no ambiente corporativo.

Algo que sirva de reconhecimento, sinal de que vale a pena.

Quando o gestor só cobra e não reconhece de alguma forma, a equipe fica desmotivada.

 


O Scopi é o software número 1 de planejamento estratégico no Brasil. Ele facilita na criação e execução do seu planejamento estratégico, integrando canvas, swot, mapa estratégico, indicadores, metas, projetos e processos. Entre em contato: Acesse nosso site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.