Mix de Marketing: o que é e como pôr em prática

Compartir en whatsapp
Compartir en facebook
Compartir en linkedin
Compartir en twitter
Compartir en email

Como convencer os consumidores de que sua marca é a melhor opção? Destacar-se em um mercado cada vez mais concorrido é um desafio. Métodos tradicionais de prospecção, no entanto, ainda fundamentam o posicionamento e a oferta de qualquer empresa e fazem a diferença na maneira como uma marca comunica-se com seu público-alvo. Um deles é o chamado Mix de Marketing. Confira o nosso conteúdo e saiba mais sobre o assunto!

Mix de Marketing: o que é e para que serve?

O Mix de Marketing é uma técnica que serve para influenciar o público a consumir um produto, serviço ou proposta de uma determinada marca. O conceito surgiu na década de 1960, a partir da definição dos 4Ps do Marketing – os quatro pilares que iriam desenvolver a técnica. Desde então, delimitar produto, preço, promoção e praça tornou-se o primeiro passo para inserir uma proposta no mercado e gerar desejo de compra no público.

Mas, anos depois, percebeu-se a necessidade de analisar não apenas as características da empresa e da concorrência, mas também as dos clientes. A partir de então, foi criado o conceito dos 4 Cs do Marketing .

Usted 4 Cs vieram para ajudar a compreender as demandas e o perfil dos potenciais consumidores. Entender as motivações de compra, bem como as limitações dos públicos-alvo, é parte fundamental para direcionar produtos e serviços àqueles realmente interessados.

Portanto, a função do Mix de Marketing é oferecer o produto certo, no local certo, pelo preço certo, no momento certo. Para que isso aconteça, comunicar-se adequadamente com o público alvo é imprescindível. Neste post, abordaremos o assunto, mostrando como a ferramenta pode ser utilizada em negócios e no planificación estratégica. Vamos lá?

Mix de Marketing: definindo os 4Ps

Os quatro itens a seguir servem de base para a elaboração da proposta de todo negócio. São eles:

1) Produto

O que minha empresa irá oferecer ao consumidor? Essa pergunta vai ao cerne do empreendimento e coloca em questão quais produtos ou serviços serão disponibilizados pela empresa.

Assim, a partir dessa definição, são estabelecidas as características e diferenciais dos bens ofertados, diferenciando-os dos concorrentes. Importante ressaltar que o objetivo é suprir as demandas do público-alvo.

2) Preço

Definir o preço de um produto ou serviço engloba diversos aspectos. É necessário levar em consideração o seu custo de produção, a média dos preços praticados pela concorrência e o valor que o público-alvo está disposto a pagar.

Dessa forma, o preço ideal é encontrado não só quando há lucro, mas também quando o indicativo agrega valor ao produto ou serviço. Preços altos prejudicam as vendas. Quando eles estão muito abaixo da média de mercado, acabam levantando suspeitas em relação à qualidade da marca.

3) Praça

Onde os bens serão oferecidos? O terceiro “P” do Mix de Marketing aborda quais serão os canais de distribuição da marca: seja sua inserção em pontos de venda, seja sua presença nas redes sociais e em e-commerce.

Em resumo, o objetivo é avaliar os melhores meios para que os potenciais consumidores encontrem a empresa. É preciso compreender o comportamento dos clientes: assim, os investimentos para a introdução da marca no mercado serão melhor direcionados.

4) Promoção

Aqui, promoção tem sentido de promover. Não que oferecer descontos por tempo limitado não seja uma maneira de divulgar o negócio. Mas esse item diz respeito a todas as ações de comunicação necessárias para a exposição da marca no mercado.

Dessa forma, campanhas publicitárias são primordiais para atrair clientes. O objetivo é chamar a atenção para a marca e incentivar as vendas. Isso pode ser feito de diversas formas, mas o que está em alta é o marketing digital – que aproveita a visibilidade proporcionada pelas redes sociais e pelos mecanismos de busca para direcionar as ofertas conforme o perfil do público.

Os 4 C’s do Mix de Marketing

Para embasar o diagnóstico dos quatro P’s, é preciso apontar o olhar para os consumidores. Para isso, basta pensar nos quatro C’s a seguir:

1) Clientes

Antes de tudo, o consumidor é um sujeito com necessidades e desejos. Consumir é um ato de suprir demandas corriqueiras do dia-a-dia. Portanto, a empresa deve encontrar uma utilidade para a rotina dos seus potenciais clientes.

Só que, não necessariamente as soluções encontradas serão exatamente práticas – muitas vezes, as necessidades do públicos-alvo são puramente emocionais. Oferecer produtos e serviços que tenham afinidade com o estado de espírito dos consumidores é o primeiro passo para uma boa venda. 

2) Custos

O que irá custar para o cliente consumir o meu produto ou serviço? Não estamos falando apenas de dinheiro, mas de tudo o que envolve a escolha pela proposta da marca.

Podemos pensar em ‘custo temporal’, que considera o tempo necessário para que o produto possa finalmente ser adquirido. Também, custos emocionais – aqueles que mexem com a consciência do consumidor por ter comprado da empresa. Acima de tudo, o cliente deve sentir que sua escolha valeu a pena.

3) Convencional

Afinal, minha marca está em uma situação conveniente para compra? Esse item conversa com o “P” de ‘Praça’, mas vai além da simples distribuição em pontos de venda ou canais digitais. O ato de consumir deve ser acessível ao cliente, que preza cada vez mais por praticidade e rapidez. Mídias digitais estão fazendo sucesso pois propõem exatamente isso.

4) Comunicação

Por fim, sem comunicação não há marketing. Comunicar-se, no entanto, é muito mais do que fazer publicidade: é interagir, de fato, com o público consumidor. Para isso, a linguagem utilizada pela marca deve ser a mesma dos clientes, os conteúdos das campanhas devem ser interessantes e o engajamento com as ações criadas deve ser incentivado. Tudo isso é essencial para que a empresa conheça seu público-alvo.

Em resumo, um bom Mix de Marketing relaciona a proposta do negócio com o perfil dos clientes almejados? Pesquise o mercado, estude sobre marketing e fique atento às tendências de comportamento dos consumidores. Amplie, assim, o alcance do seu empreendimento.

Gostou do conteúdo? Este artigo sobre Mix de Marketing foi criado pela equipe da Central do Franqueado para uso exclusivo no blog Scopi.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.